Órgão ligado ao governo prorroga prazo para Meta informar que parou de usar de dados de usuários para treinar inteligência artificial

Politica
Autoridade Nacional de Proteção de Dados manteve ordem para empresa suspender prática e vai analisar pedido de reconsideração. Meta já disse estar ‘desapontada’ com a primeira decisão. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) decidiu prorrogar o prazo dado à Meta – big tech responsável pelo Facebook, Instagram e WhatsApp – para a empresa suspender, no Brasil, a validade da nova política de privacidade da empresa sobre o uso dos dados pessoais dos usuários.
O órgão é uma autarquia federal ligada ao Ministério da Justiça. O prazo de cinco dias, concedido no último dia 2, foi renovado por mais cinco dias.
Os novos termos de uso passaram a permitir que a empresa use dados de publicações abertas de usuários, como fotos e textos, para treinar sistemas de inteligência artificial (IA) generativa.
⚠️ Por que isso importa? Porque o conteúdo que milhões de pessoas postam no Instagram e no Facebook está servindo para treinar inteligência artificial sem a empresa oferecer contrapartidas, nem informações detalhadas sobre onde a ferramenta poderá ser usada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *